Alckmin pretende criar rede paulista de combate ao câncer

S O PAULO, 9 de agosto de 2010 - O ex-governador Geraldo Alckmin, candidato da coligação Unidos por São Paulo (PSDB, DEM, PMDB, PPS, PSC, PHS, PMN), afirmou neste sábado (7), em visita a Barretos e Jaú, que pretende criar uma rede paulista de prevenção, diagnóstico e tratamento do câncer.

"O câncer é uma doença curável, ele precisa ser diagnosticado precocemente e tratado corretamente", disse, após visita ao Hospital do Câncer de Barretos, considerado referência internacional não só no tratamento como também na área de pesquisa.

Segundo Geraldo, todas as regiões do Estado precisam ter instituições como o Hospital do Câncer de Barretos e o Instituto do Câncer do Estado de São Paulo Octavio Frias de Oliveira, na Capital. Com a rede paulista, a população terá acesso a tratamento de qualidade, sem precisar se deslocar por grandes distâncias. O caminho é, cada vez mais, humanizar o atendimento. "Essa rede paulista vai atender de forma humanizada, como acontece em Barretos", enfatizou o candidato.

Em Jaú, na companhia de Lu Alckmin, Geraldo reforçou a proposta de implantar a rede de combate ao câncer, durante a Festa de Confraternização para os Voluntários das Ligas de Combate ao Câncer do Hospital Amaral Carvalho. "A rede ajudará entidades como a Amaral Carvalho, que atende hoje mais de 200 cidades do Estado, e trará serviços próprios do governo, através do Instituto do Câncer", disse Geraldo.

O Instituto do Câncer, na Capital, é o maior centro da América Latina especializado no tratamento da doença. Inaugurado em 2008, tem capacidade para realizar 1,5 mil internações por mês, 33 mil consultas ambulatoriais, 1,3 mil cirurgias, 6 mil sessões de quimioterapia e 420 de radioterapia, com um total de 124 ambulatórios médicos.

(Redação - Agência IN)