Ações locatícias crescem 21,3% em julho

S O PAULO, 17 de agosto de 2010 - Em julho, foram ajuizadas na cidade de São Paulo 1.778 ações locatícias, uma alta de 21,3% frente às 1.466 ocorrências de junho, mostra levantamento do Secovi-SP junto ao Fórum paulistano. "O resultado de julho, porém, ficou 1,3% abaixo dos números de maio (1.802 ações) e 4,7% menor que o de abril (1.866)", ressalta Roberto Akazawa, gerente do Departamento de Economia e Estatística da entidade.

Em relação a julho do ano passado, mês em que tinham sido registradas 1.760 ações, o aumento foi de apenas 1,0%.

O levantamento indica que a falta de pagamento do aluguel continua sendo o principal motivo das ações locatícias. Em julho, foi contabilizada a entrada de 1.444 casos de inadimplência, o equivalente a 81,2% de todas as ações. As ações ordinárias, com 247 ocorrências, ocuparam a segunda colocação, com uma fatia de 13,9%. As ações renovatórias (81 ações) e as consignatórias (6 processos) participaram, respectivamente, com 4,6% e 0,3% do volume global.

No acumulado do ano, houve uma redução de 9,3%. De janeiro a julho deste ano foram observadas 12.488 ações, ante as 13.763 de idêntico período de 2009. "O crescimento econômico, a queda nas taxas de desemprego e as alterações recentemente introduzidas na legislação do inquilinato certamente colaboraram para essa desaceleração", comenta Jaques Bushatsky, diretor de Legislação do Inquilinato do Secovi-SP.

(Redação - Agência IN)