EUA revisam para baixo déficit previsto para 2010

SÃO APULO, 23 de julho de 2010 - A Casa Branca anunciou nesta sexta-feira ter revisado para baixo o déficit dos Estados Unidos em 2010 para 10% do Produto Interno Bruto (PIB), com um montante recorde de US$ 1,47 trilhão, mas prevê aumento menos pronunciado em 2011, ou 9,2% do PIB.

A cifra de US$ 1,47 trilhão para o exercício 2009-2010 é um recorde absoluto na história dos Estados Unidos, de acordo com a nova estimativa do Escritório de Orçamento da Casa Branca (OMB, da sigla em inglês).

Em suas previsões de fevereiro, o governo tinha anunciado um déficit para 2010 de 10,6% do PIB. No entanto, o exercício 2010-2011, que se inicia em 1 de outubro, será menor que o previsto.

De acordo com o OMB, chegará ao US$ 1,416 trilhão, uma cifra semelhante à de 2009 e em torno de US$ 150 bilhões menor que o anunciado em fevereiro.

As novas estimativas da Casa Branca refletem uma visão mais otimista para a economia em 2010, que se deteriorará nos anos seguintes. Washington indicou também esperar um crescimento de 3,2% em 2010, contra uma previsão anterior de 3% feita em maio.

O desemprego, por sua vez, será de 9,7% em 2010 e não de 10% como se previa em fevereiro. Christina Romer, conselheira econômica do presidente Barack Obama, admitiu, no entanto, que as previsões econômicas tomadas como base para as novas estimativas orçamentárias foram realizadas durante o mês de maio. Ou seja, na época em que o Federal Reserve (Fed) revisava para cima suas previsões de crescimento, para baixá-las na última reunião de seu Comitê de Política Monetária, realizada no fim de junho.

A previsão para 2010 coincide bastante com a do Fundo Monetário Internacional (FMI) publicada no início de julho (3,3%). Já a administração Obama é muito mais otimista que o Fundo para 2011 (3,6% contra 2,9%).

(Redação com AFP - Agência IN)