Cana coloca Brasil na liderança e vanguarda tecnológica

SÃO PAULO, 23 de julho de 2010 - A cana-de-açúcar é considerada uma das atividades mais rentáveis da economia brasileira nos últimos anos, embora seja explorada no Brasil desde o século 16, vinda da Ásia. O setor colocou o País na vanguarda mundial da agroenergia, com a produção de etanol, e está intrinsecamente ligado à própria história brasileira. Ao longo dos últimos 150 anos, o Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento (Mapa) tem estimulado o desenvolvimento da cultura.

Desde 2005, a Secretaria de Produção e Agroenergia do Mapa, cujo Departamento de Cana-de-Açúcar e Agroenergia (DCAA) tem como atribuição não apenas manter a interlocução com o setor privado por meio da Câmara Setorial do Açúcar e do Álcool, mas também monitorar o abastecimento de álcool combustível (etanol) e a produção das usinas.

O departamento ainda promove os biocombustíveis no exterior e é responsável pelas políticas de expansão e sustentabilidade da agroenergia por meio do Zoneamento Agroecológico da Cana-de-Açúcar (ZAECana). Segundo o diretor do DCAA, Alexandre Strapasson, o órgão é responsável pelas políticas de financiamento de estoques de etanol e apoio aos fornecedores de cana.

Toda a ação do Ministério da Agricultura tem sido com o desenvolvimento de políticas públicas em prol do aumento da qualidade, produção e produtividade da cana-de-açúcar, ampliando a competitividade do sistema produtivo enquanto mantém uma política de conservação e preservação do meio ambiente. "A nossa missão é projetar o Brasil como liderança mundial em agroenergia", avalia Strapasson.

(Redação - Agência IN)