Saúde aciona gabinete de emergências para coordenar ações

SÃO PAULO, 24 de junho de 2010 - O Ministério da Saúde convocou hoje o Gabinete Permanente de Emergências para monitorar a situação das áreas afetadas pelas enchentes em Pernambuco e Alagoas. O monitoramento será feito periodicamente por técnicos de 15 departamentos do Ministério da Saúde, além de representantes da Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa) e da Fundação Nacional de Saúde (Funasa).

Foram enviados nesta quinta-feira, mais de 600 mil doses de vacinas de febre amarela, anti-rábica, tríplice viral (contra sarampo, rubéola e caxumba); BCG intradérmico; hepatite B; tríplice DTP (contra difteria, tétano e coqueluche); dupla viral adulto (contra difteria e tétano), DTP acelular (DTPa), meningocócica conjugada, pentavalente (contra difteria, tétano, coqueluche, hemófilos e poliomielite) e rotavírus humano.

A primeira reunião do gabinete de emergências ocorreu na manhã de hoje, para identificar as ações prioritárias nas áreas alagadas. Na próxima segunda-feira (28), em horário ainda a ser definido, os técnicos do Ministério da Saúde voltam a se encontrar, em uma sala de situação instalada no Centro de Informações Estratégicas em Vigilância em Saúde(CIEVS), na sede do Ministério.

Serão feitas videoconferências com as Secretarias Estaduais de Saúde de Pernambuco e Alagoas, para acompanhar e coordenar os trabalhos das equipes de saúde nas áreas afetadas. Este é o mesmo gabinete de crise que foi acionado quando surgiu a gripe H1N1, em abril de 2009.

No fim da manhã desta quinta, chegaram aos dois estados 75 kits com medicamentos e insumos para atender as vítimas das enchentes. Pernambuco recebeu 53 kits, num total de 11 toneladas, para atender a cerca de 80 mil pessoas pelos primeiros 30 dias. Alagoas recebeu 22 kits, num total de 5 toneladas, para atender a aproximadamente 33 mil pessoas no primeiro mês. O kit é composto de 48 itens, entre antibióticos, antibacterianos, antitérmicos, anti-hipertensivos, analgésicos, seringas descartáveis, ataduras e esparadrapo impermeável, entre outros.

(Redação - Agência IN)