Indicadores mistos derrubam bolsas mundiais

SÃO PAULO, 24 de junho de 2010 - A divulgação de indicadores em direções opostas amedrontou os investidores nesta quinta-feira, puxando para baixo o desempenho das principais bolsas de valores mundiais.

O clima tenso teve início na Europa, com os pedidos à indústria na zona do euro decepcionando os investidores. Com isso, os índices acionários da região tiveram perdas importantes. Ao final do pregão, o índice FTSE-100, de Londres, recuou 1,51%, aos 5.100 pontos, o DAX, de Frankfurt, caiu 1,44%, aos 6.115 pontos e o CAC-40, de Paris, teve desvalorização de 2,37%, aos 3.555 pontos.

Nos Estados Unidos, nem mesmo a divulgação de indicadores econômicos considerados positivos conseguiu reverter o mal estar no mercado. No fim do dia, as bolsas tiveram recuo superior a 1%. Por lá, os pedidos de bens duráveis e as solicitações de seguro-desemprego foram ofuscados diante das incertezas dos agentes. Ao final dos negócios, em Nova York, o índice Dow Jones Industrial Average perdeu 1,41%, aos 10.152 pontos. O S&P 500 recuou 1,68%, aos 1.073 pontos. E na bolsa eletrônica, o índice composto Nasdaq caiu 1,63%, aos 2.217 pontos.

No mesmo sentido, na Argentina, o Índice Merval da bolsa de valores de Buenos Aires apresentou contração de 1,13%, aos 2.300 pontos.

E no Brasil, o Ibovespa acompanhou o pessimismo global e terminou com desvalorização de 1,88%, aos 63.936 pontos. O desempenho refletiu ainda a forte queda das ações da Vale e da Petrobras. No caso, da petrolífera, os investidores não receberam bem o adiamento da capitalização da companhia. O giro financeiro da bolsa fechou em R$ 4,949 bilhões.

Enquanto isso, na renda fixa, a curva de juros futuros desceu, diante dos dados de emprego e inflação no mercado local. Com isso, o contrato de Depósito Internfinanceiro (DI) com vencimento em janeiro de 2011 projetou taxa anual de 11,29%. No câmbio, o dólar comercial ignorou a cautela nos mercados e finalizou em baixa, vendido a R$ 1,78.

E nas commodities, por sua vez, os preços do petróleo no mercado internacional inverteram a tendência negativa observada durante o dia e terminaram em alta, em resposta a melhora no mercado de trabalho norte-americano. O barril de petróleo do tipo WTI, com vencimento em agosto, ganhou US$ 0,18 vendido a US$ 76,53 na Bolsa de Mercadorias de Nova York (NYMEX, sigla em inglês). O barril do tipo Brent, com vencimento em Agosto, subiu de também US$ 0,18 cotado a US$ 76,45 no ICE Exchange de Londres.

(Redação - Agência IN)