Estados atingidos por enchentes recebem medicamentos

SÃO PAULO, 24 de junho de 2010 - Em virtude das fortes chuvas que atingiram Alagoas e Pernambuco nos últimos dias, serão enviadas 16 toneladas de medicamentos e insumos aos estados, volume suficiente para atender a cerca de 113 mil pessoas em um mês. O envio, que teve início na terça-feira (22), será feito em sete remessas e deve ser concluído até o final desta quinta-feira (24). Pernambuco receberá 53 kits, num total de 11 toneladas, para atender a cerca de 80 mil pessoas pelos primeiros 30 dias. Alagoas receberá 22 kits, num total de 5 toneladas, para atender a aproximadamente 33 mil pessoas no primeiro mês. O kit é composto por 48 itens, entre antibióticos, antibacterianos, antitérmicos, anti-hipertensivos, analgésicos, seringas descartáveis, ataduras, entre outros.

Alagoas também receberá o atendimento de 105 profissionais de saúde, entre médicos, enfermeiros e auxiliares de enfermagem, assim como o Samu-192 (Serviço de Atendimento Móvel de Urgência). Já em Pernambuco, a avaliação do governo do estado é que, neste momento, não há necessidade de reforço das equipes.

Além disso, técnicos de vigilância epidemiológica foram deslocados para os dois estados com a missão de prestar assessoria às secretarias estaduais na vigilância da qualidade da água, prevenção e vigilância de doenças transmissíveis, entre outras ações que sejam necessárias. Também serão enviadas 30 mil cartilhas sobre como agir em caso de enchentes e mais 10 mil para pessoas em situação de abrigo, somente para Pernambuco.

O número de militares mobilizados para socorrer as vítimas das enchentes em Alagoas e Pernambuco já supera o do Haiti, no momento em que houve o terremoto no país em janeiro último. Já são 1700 soldados do Exército, 300 dos quais estão em deslocamento para a região, e há outros 3 mil preparados para eventuais deslocamentos. No Haiti, antes do reforço solicitado pela Organização das Nações Unidas, havia 1.300 militares brasileiros. Também foram destacados para o socorro ao Nordeste, cinco helicópteros, dois hospitais de campanha e duas pontes militares metálicas, além de equipamentos menores, como geradores e caminhões.

(Redação - Agência IN)