Cúpula do G-20: Lula pede ações contra a crise

Jornal do Brasil

DA REDAÇÃO - O presidente Luiz Inácio Lula da Silva vai defender, durante a cúpula do G-20 (20 maiores economias do mundo), neste fim de semana, o incentivo ao crescimento da economia global como forma de combater os efeitos da crise internacional. Lula acredita que a retomada do crescimento é o melhor remédio contra o desequilíbrio público, segundo o porta-voz da Presidência da República, Marcelo Baumbach.

Além disso, o presidente vai propor a reforma das instituições financeiras globais, para aumentar a capacidade de combater as crises, e o maior poder dos países emergentes.

O Brasil acha que não é o momento de se dar importância excessiva à criação de superávits, mas sim de privilegiar o crescimento econômico.

Austeridade europeia

Já as autoridades europeias pretendem defender seus planos de austeridade durante a cúpula. O presidente do Banco Central Europeu, Jean-Claude Trichet, disse que é errado alegar que a austeridade orçamentária causa estagnação. A chanceler alemã, Angela Merkel, afirmou que seu país manterá os planos de economizar 80 bilhões de euros nos próximos quatro anos, o maior programa de cortes fiscais desde a Segunda Guerra.

Os EUA advertiram sobre retirar os estímulos econômicos cedo, lembrando que o corte de gastos feito pelo país em 1930 prolongou a Grande Depressão.