Inflação na capital paulista fica próxima de zero na 2ª prévia do mês

Agência Brasil

SÃO PAULO - O Índice de Preços ao Consumidor (IPC) , medido pela Fundação Instituto de Pesquisas Econômicas (Fipe) voltou a diminuir o ritmo de alta e ficou em 0,03% na segunda prévia de junho. Foi a menor taxa desde a primeira prévia de novembro de 2007 (0,02%).

Puxaram o resultado os grupos alimentação - em queda de 0,83% ante -0,43% na prévia anterior - e transporte, que teve a quarta redução seguida (-0,18% ante -0,20%). Dois grupos apresentaram alta, embora inferiores às registradas no levantamento anterior: saúde ( de 1,00% para 0,94%), e educação (de 0,06% para 0,05%).

Os três grupos restantes tiveram alta em níveis superiores aos da primeira prévia: habitação, com 0,25% ante 0,23%; despesas pessoais, que passou de 0,23% para 0,50%, e vestuário (de 0,64% para 0,73%).

Entre os aumentos que justificam a alta em despesas pessoais estão cigarros (2,29%); ingressos para shows e peças teatrais (1,86%); para cinema (1,21%) e gastos com excursões (0,38%). No item vestuário, as roupas ficaram mais caras, com destaque para as peças femininas. Comprar um blazer, por exemplo, custou em média 4,68% mais.

Em habitação houve alta na tarifa de energia elétrica (0,21%); nos artigos de limpeza (0,35%), no aluguel (0,18%) e em itens como móveis e decorações (0,97%).