Petróleo sobe em NY e Londres, sustentado por otimismo dos mercados

Agência AFP

NOVA YORK - Os preços do petróleo subiram nesta terça-feira em Londres e Nova York, onde fechou perto dos 77 dólares, seguindo a tendência das bolsas e da valorização do euro, no momento em que os investidores começam a demonstrar confiança na recuperação.

No New York Mercantile Exchange (Nymex), o barril de West Texas Intermediate (designação de 'light sweet crude' negociado nos EUA) para entrega em julho fechou em 76,94 dólares, em alta de 1,82 dólar em relação à segunda-feira.

No InterContinentalExchange de Londres, o barril de Brent do Mar do Norte, com igual vencimento, ganhou exatamente um dólar, indo para 76,20 dólares.

Segundo Antoine Halff, da Newedge Group, "temos um mercado mais otimista a curto prazo. A dúvida é se esses lucros se manterão, porque os fundamentos não mudaram".

Os preços do petróleo foram impulsionados por uma onda de otimismo que orientou para a alta os mercados, tanto na Europa quanto nos Estados Unidos, onde Wall Street evoluía em forte alta na segunda parte do dia.

A moeda única europeia, que mede a confiança dos mercados na economia da região, evoluía para a alta nesta terça-feira, acima de 1,23 dólar.

Quanto aos indicadores nos Estados Unidos, o índice Empire State da atividade industrial na região de Nova York subiu, ainda que menos que o previsto, a 19,6.

"As pessoas estão mais otimistas em relação à economia mundial, sentem-se um pouco melhor sobre a situação na Europa", explicou Andy Lipow, da Lipow Oil Associates.

"Tinham a impressão de que a crise fiscal da zona do euro afetaria pesadamente a economia da região e, consequentemente, a demanda de produtos petroleiros", explicou.

O mercado mantém um olho no Atlântico, onde formou-se uma depressão atmosférica. Mas os serviços meteorológicos americanos reduziram nesta terça-feira a 20% a probabilidade de que se transforme em tempestade tropical suscetível de perturbar a produção de petróleo no Golfo do México (sul dos EUA), região já afetada pela maré negra.