Ministros em reunião para incentivo do carro elétrico

Jornal do Brasil

DA REDAÇÃO - A política de incentivo à produção do carro elétrico no Brasil deve ser discuta quarta-feira em reunião entre os ministros da Fazenda, do Desenvolvimento e da Ciência e Tecnologia. O programa pode ser ampliado para incluir estímulos para a produção de veículos bicombustíveis (flex). A Associação Nacional dos Fabricantes de Veículos Automotores (Anfavea) pede a redução definitiva do Imposto sobre Produtos Industrializados (IPI) para carros flex, para estimular o uso do etanol como combustível.

O ministro da Fazenda, Guido Mantega, ia divulgar os benefícios aos carros elétricos há cerca de duas semanas, mas o anúncio foi suspenso em cima da hora por determinação do presidente Luiz Inácio Lula da Silva. O ministro do Desenvolvimento, Miguel Jorge, apresentou a ponderação de que o plano deveria incluir incentivos aos carros flex.

Elaborado pelo Ministério da Fazenda, a primeira versão do estudo fazia menção ao etanol em apenas uma linha. Depois aumentou para um parágrafo na versão final que seria apresentada por Mantega. O etanol era ignorado , disse uma fonte do governo. Segundo interlocutor do setor automotivo, o ideal seria a redução definitiva de IPI para carros flex.