Inação sobre projeto de energia é inaceitável, dirá Obama

SÃO PAULO, 15 de junho de 2010 - O presidente norte-americano, Barack Obama, dirá esta terça-feira, em discurso ao povo norte-americano, que a inação do projeto de energia, que está parado no Senado, é inaceitável depois do catastrófico vazamento de petróleo no Golfo do México, anunciou uma fonte oficial.

Um alto funcionário do governo Obama disse que o presidente reforçaria a ideia de que a catástrofe ambiental mostra que a América precisa se desapegar do excesso de dependência em combustíveis fósseis.

"A inação não é aceitável", disse a fonte, repetindo um trecho do primeiro discurso de Obama como presidente, acrescentando que ele trabalhará para "garantir a aprovação" de uma lei tão importante.

Obama dirá que os contrários ao projeto de lei vão alegar que os custos de um projeto energético que prevê a taxação das emissões do carbono serão altos demais. "Ele dirá que não poderemos nos arriscar a não fazê-lo porque os custos de longo prazo para nossa economia, nossa segurança nacional e nosso meio ambiente serão muito maiores", disse o funcionário.

Segundo a fonte, Obama não deverá dar detalhes em profundidade sobre as propostas do legislativo, dando ênfase a um "conceito mais amplo".

(Redação com AFP - Agência IN)