Brasil amplia liderança mundial em celulose

SÃO PAULO, 15 de junho de 2010 - Um mercado em plena expansão. Esse é o cenário no qual se insere o mais novo competidor do segmento de celulose e papel do Brasil, a Eldorado Brasil, cuja pedra fundamental será lançada hoje em Três Lagoas (MS).

O cenário é muito favorável para a indústria de celulose brasileira, em função da alta produtividade das nossas florestas e da recuperação econômica global, principalmente da China, maior destino das exportações brasileiras do setor.

De acordo com estimativas, a demanda mundial por celulose de fibra curta cresce em torno de 1,5 milhão de toneladas ao ano, um ritmo que não é acompanhado pelas linhas de produção instaladas. "Novas máquinas de papel estão entrando em operação na Ásia e puxando a demanda mundial por celulose, enquanto, de outro lado, os Estados Unidos estão fechando diversas fábricas obsoletas e a China está encerrando o equivalente a 4 milhões de toneladas de pequenas plantas altamente poluidoras", observa Sérgio Almeida, diretor comercial da Eldorado Brasil.

"Nesse contexto de expressiva redução de oferta e incremento da demanda, há espaço para uma planta de 1,5 milhão de toneladas. Haverá uma janela entre 2012 e 2013, em que o mercado estará altamente demandado, e no qual a Eldorado Brasil vai atuar", acrescenta Almeida.

O incremento na demanda internacional de celulose já foi sentido pelos fabricantes de celulose nos quatro primeiros meses do ano.

Nesse período, a exportação da celulose brasileira aumentou 9,8% em relação ao mesmo período do ano passado, passando de 2,577 milhões para 2,830 milhões de toneladas, segundo dados da Associação Brasileira de Celulose e Papel (Bracelpa). Esse volume representou uma receita de US$ 1,5 bilhão para o setor, em comparação a US$ 1 bilhão no mesmo período de 2009.

(Redação - Agência IN)