Acordo nuclear ainda está sobre a mesa de negociações, diz Irã

SÃO PAULO, 15 de junho de 2010 - O presidente do Irã, Mahmoud Ahmadinejad, afirmou hoje que o acordo nuclear que determina a troca de urânio iraniano ainda está sobre a mesa de negociações, apesar da imposições de sanções ao país pelo Conselho de Segurança da Organização das Nações Unidas (ONU). Segundo ele, a chamada Declaração de Teerã - nome oficial do acordo - é um "mecanismo vivo que desempenha um papel na evolução da situação internacional".

As informações são da PressTV, a rede de televisão estatal do Irã. "A Declaração de Teerã é o começo de uma nova era. Não apenas sobre a questão nuclear do Irã, mas apresentou um novo modelo de relações globais com base em negociações e na lógica e justiça", disse o presidente iraniano.

Ahmadinejad afirmou que os termos do acordo desagradaram às grandes potências mundiais porque se baseiam na busca da solução de impasses por meio da justiça. "[As grandes potências] estão interessados apenas nos próprios interesses", disse ele em relação aos Estados Unidos, à França, à Inglaterra, à Rússia e à China - que têm cadeira permanente no Conselho de Segurança e votaram a favor das sanções.

Na última quarta-feira (9), o órgão aprovou, por 12 votos favoráveis, uma série de medidas restritivas ao Irã. Apenas o Brasil e a Turquia foram contrários às medidas. O Líbano se absteve. As sanções atingem diretamente os setores comercial e militar do Irã.

Ontem (14), em Genebra, na Suíça, o ministro das Relações Exteriores, Celso Amorim, reiterou a defesa em busca da paz por meio do diálogo e das negociações diplomáticas. "A paz tem custos. Todos devem se envolver nos esforços para a sua construção e manutenção. O Brasil, de sua parte, escolheu o diálogo, as soluções negociadas e a diplomacia como forma de resolver os conflitos. Paz, cooperação solidária e comércio justo serão o novo nome do desenvolvimento", disse Amorim. As informações são da Agência Brasil.

(Redação - Agência IN)