Em dia de agenda cheia, perspectiva é positiva

SÃO PAULO, 9 de junho de 2010 - Além da agenda econômica externa de peso, a atenção dos investidores deve voltar-se hoje para dados internos. O grande destaque do dia é a decisão do Comitê de Política Monetária sobre a taxa básica de juros (Selic), analistas apostam em alta de 0,75 ponto percentual, para taxa de 10,25% ao ano.

Ainda na cena interna, hoje foi revelado que o Índice Geral de Preços - Disponibilidade Interna (IGP-DI) avançou para 1,57% em maio deste ano, contra inflação de 0,72% em abril, segundo informações da Fundação Getúlio Vargas (FGV). O dado veio acima do estimado pelo mercado.

O Índice de Preços ao Consumidor Semanal (IPC-S) avançou em 4 das 7 capitais monitoradas na primeira semana de junho.

E o Índice Nacional de Preços ao Consumidor Amplo (IPCA), o dado oficial de inflação do País, recuou de 0,57% em abril, para 0,43% em maio.

Para hoje, estão previstas ainda a divulgação do Índice Nacional de Preços ao Consumidor (INPC) e a Pesquisa Industrial Mensal-Regional.

Nos Estados Unidos, os agentes aguardam dados sobre o setor imobiliário, além do índice de estoques no atacado, o relatório semanal dos estoques de petróleo, o Livro Bege e o discurso do presidente do Federal Reserve (Fed, o banco central norte-americano), Ben Bernanke.

Para Hamilton Moreira Alves, analista financeiro do Banco do Brasil Banco de Investimentos (BB-BI), o dia deve ser de melhoria do mercado, até porque os preços já estão bastante ajustados, entretanto, ele pondera que a volatilidade deve marcar os pregões mundo afora. Ele acrescentou que a espera pelo discurso de Bernanke e o Livro Bege não devem pressionar os mercados, já que Bernanke parece já ter adiantado o Livro Bege em discurso ontem (08).

Na Ásia, as bolsas fecharam o pregão em tendências opostas à espera pelos dados norte-americanos, em meio à agitação do mercado em relação à situação financeira dos países da Europa e à desvalorização do euro.

Na Bolsa de Valores de Seul encerrou o índice Kospi caiu 0,26% para 1.647,22 pontos. O índice de valores tecnológicos Kosdaq apresentou perdas de 0,68%, para 487,00 pontos. Em Tóquio, o índice Nikkei 225 caiu 1,04%, para 9.439,13 pontos. O indicador Topix, que reúne todos os valores da primeira sessão, recuou 0,93%, aos 850,37 pontos.

Já em Xangai, o índice Xangai Composto avançou 2,78% para 2.583,87 pontos e na Bolsa de Hong Kong o índice Hang Seng avançou 0,69% para 19.621,24 pontos.

Na Europa, os principais índices acionários registram ganhos. Há pouco, o CAC-40, de Paris, subia 1%, aos 3.414 pontos, o DAX, de Frankfurt, ganhava 0,94%, aos 5.923 pontos. E, em Londres, o índice FTSE-100 valorizava 0,41%, aos 5.048 pontos.

(Carina Urbanin - Agência IN)