Bolsas dos EUA fecham em baixa

SÃO PAULO, 9 de junho de 2010 - Apesar de notícias positivas da China e do mercado norte-americano, os principais índices acionários de Wall Street terminaram a quarta-feira em baixa, depois de operarem boa parte do dia com altas.

Ao final do pregão, em Nova York, o índice Dow Jones Industrial Average recuou 0,41%, aos 9.899 pontos. O S&P 500 perdeu 0,59%, aos 1.055 pontos. E na bolsa eletrônica, o índice composto Nasdaq teve desvalorização de 0,54%, aos 2.158 pontos.

Uma das possíveis razões para as perdas do final da sessão foi a divulgação do Livro Bege, do Federal Reserve (Fed, o banco central norte-americano), relatório elaborado pelos doze escritórios regionais da entidade monetária, que apontou que a atividade econômica melhorou, desde o último relatório, em todos os distritos - apesar de muitos terem reportado ritmo de crescimento moderado.

Para Fábio Garcez, sócio-gestor da SMD Gestão de Recursos, o mercado pode ter se decepcionado com a sinalização de expansão econômica em ritmo mais lento. "O crescimento modesto, com a necessidade de alguns passos para a economia se recuperar, de repente desanimou o mercado. Enquanto persistir a indefinição, a volatilidade vai acompanhar as bolsas", ponderou.

Segundo o documento do Fed, os gastos dos consumidores e a atividade turística aumentaram, contribuindo para a modesta expansão da economia. Os gastos das empresas também subiram, em geral, devido a emprego e capital, entretanto, as companhias norte-americanas reduziram os investimentos em estoque.

Por outro lado, o número de solicitações de empréstimos hipotecários teve retração de 12,2% na semana encerrada no dia 28 de maio, ante a semana anterior, já com ajustes sazonais. Sem o ajuste sazonal, o índice recuou 21,1% no mesmo período citado.

E os estoques no atacado dos Estados Unidos avançaram 0,4% em abril, ante o mês anterior (dados revisados) para US$ 397,8 bilhões e registraram recuo de 3,2% em relação ao mesmo mês do ano passado.

(Humberto Domiciano - Agência IN)