Indústria de transformação é a que mais paga impostos

SÃO PAULO, 8 de junho de 2010 - De acordo com o levantamento Carga Tributária Brasileira "Repercussões na Indústria de Transformação", entre 2005 e 2009, a carga tributária média da indústria de transformação foi de 59,8% do Produto Interno Bruto (PIB) industrial, ou seja, 2,24 vezes mais elevada que a carga tributária média dos setores, que é de 26,7%.

Também neste período, o setor respondeu, em média, por 37,4% do total de tributos arrecadados entre os 12 setores de atividade da economia. Trocando em miúdos, para cada R$ 1,68 de riqueza (PIB) gerada na indústria há cobrança de R$ 1,00 de tributo, enquanto, nos outros setores, essa relação é menos intensa.

Além de ser o principal obstáculo ao investimento, a carga tributária reduz a competitividade dos produtos nacionais no comércio internacional. Entre 2005 e 2008, a arrecadação de tributos na indústria de transformação cresceu, em termos reais, 20,1%, enquanto o PIB industrial apresentou evolução mais tímida, de apenas 10,1%.

Segundo o levantamento, se em 2007, ao invés dos 59,5% de carga, a indústria de transformação apresentasse a carga da economia (que era de 34,4%), a diferença cobrada em tributos corresponderia, a título de comparação, a aproximadamente 109% dos investimentos industriais na Formação Bruta de Capital Fixo (FBKF). Este valor também equivaleria a 60% dos gastos efetuados pela indústria com pessoal, ou ainda a 13,3 vezes do valor empregado pelo setor em Pesquisa e Desenvolvimento (P&D).

(Redação - Agência IN)