Decisão do Copom não deve trazer surpresa, prevê economista

SÃO PAULO, 8 de junho de 2010 - O resultado da reunião do Comitê de Política Monetária (Copom) do Banco Central do Brasil, que será divulgado amanhã, "não deve apresentar surpresas dessa vez". De acordo com o economista e professor de economia da Business School São Paulo (BSP), Pedro Raffy Vartanian, "a elevação de 0,75 ponto percentual na taxa Selic é consensual diante do cenário prospectivo inflacionário e da forte retomada do crescimento econômico no Brasil em 2010", considerou.

Para ele, é bem provável também que seja a última elevação de 0,75 ponto percentual neste ano, já que a expectativa para as próximas reuniões é de um aumento de 0,5 ponto percentual, o que faria com que a Selic encerrasse 2010 em 12,25%. "Evidentemente que este cenário pode se alterar em decorrência, por exemplo, da deterioração das condições econômicas e fiscais na zona do euro, ainda que no momento seja o mais provável", diz.

(Redação - Agência IN)