Fiesp divulga coeficientes de importação e exportação

SÃO PAULO, 1 de junho de 2010 - Os resultados para a penetração dos importados (CI) demonstram que o coeficiente atingiu nível similar ao período anterior à crise, mas, por outro lado, a parcela exportada da produção está em nível abaixo de 2008.

Pela primeira vez, desde 1999 - ano em que o país acabara de sair de um regime de câmbio fixo e ainda acumulava déficit na balança comercial - a parcela do consumo interno atendida por importados (CI, 20,7%) superou a parcela da produção que é exportada (CE, 19,3%).

Neste trimestre o CE sofreu a terceira queda consecutiva, atingindo um dos patamares mais baixos dos últimos anos, comparável a níveis anteriores ao ano de 2004. Em oposição ao coeficiente de exportação, o CI apresentou a terceira alta seguida e atingiu o terceiro maior valor da série histórica, próximo dos valores dos dois últimos trimestres de 2008, no período pré-crise.

Os dados acima confirmam as previsões para o comércio exterior brasileiro em 2010, que apontam para um cenário em que o total exportado possivelmente não retomará ao valor pré-crise, ao contrário do que o mercado prevê para as importações.

"A combinação entre o baixo crescimento externo, câmbio valorizado e acúmulo de créditos tributários relativos às exportações, explicam a perda de mercado externo e o desvio das vendas para o aquecido mercado interno", afirma o diretor do Departamento de Relações Internacionais e Comércio Exterior (Derex) da FIESP, Roberto Giannetti da Fonseca.

Calculados trimestralmente e anualmente, os coeficientes tem como objetivo avaliar momentaneamente o comércio exterior brasileiro. Além disso, a evolução destes indicadores permite identificar fenômenos econômicos relativos ao setor externo da indústria como: substituição de importações, indícios de desindustrialização ou ainda a percepção de internacionalização dos setores industriais.

Na concepção metodológica, o coeficiente de exportação (CE) mensura a parcela da receita da produção industrial nacional proveniente das exportações, em outras palavras, mede a parcela da produção destinada ao mercado externo. Em contrapartida, o coeficiente de importação (CI) quantifica a parcela do consumo aparente que é atendida por importados, também entendido como grau de penetração das importações.

(Redação - Agência IN)