Desembolsos do BNDES sobem 34% até abril

SÃO PAULO, 1 de junho de 2010 - Os financiamentos do Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social (BNDES) à compra de máquinas e equipamentos atingiram níveis recordes nos primeiros quatro meses deste ano, tanto em valores desembolsados quanto em número de operações.

Nesse período, foram liberados R$ 15,6 bilhões em créditos à aquisição de bens de capital por meio da linha BNDES Finame, com crescimento de 133% na comparação com os mesmos meses do ano passado (R$ 6,7 bilhões) e envolvendo 67,5 mil operações. Isso representa cerca de 1.000 operações realizadas por dia útil, acima da média histórica de 340 operações diárias (crescimento de 194%), no âmbito do BNDES Finame. A principal razão para esses resultados, segundo a entidade, é o Programa de Sustentação do Investimento (PSI), aprovado em junho do ano passado, com financiamento a máquinas e equipamentos com taxas de juros fixas.

Com isso, o BNDES Finame contribuiu com 44% para os desembolsos totais do Banco que, entre janeiro e abril de 2010, somaram R$ 35,7 bilhões, expansão de 34% sobre o total liberado em igual período de 2009.

Entre janeiro e abril, as aprovações de financiamentos do BNDES atingiram R$ 38,5 bilhões (alta de 30%), os enquadramentos, R$ 46 bilhões, e as consultas, R$ 54,4 bilhões. Os dois últimos indicadores tiveram recuo de 32% na comparação com janeiro/abril de 2009, devido unicamente ao efeito do empréstimo de R$ 25 bilhões feito à Petrobras, que deu entrada no Banco em abril do ano passado e que não se repetiu em 2010.

No primeiro quadrimestre de 2010, o setor de Infraestrutura absorveu R$ 14,1 bilhões em desembolsos do banco, com expansão de 41,3% em relação aos R$ 9,9 bilhões liberados nos mesmos meses de 2009. O crescimento foi puxado pelo segmento de transporte rodoviário, com R$ 7,6 bilhões.

À Indústria, foram desembolsados R$ 10,5 bilhões entre janeiro e abril, com destaque para alimentos e bebidas (R$ 3,2 bilhões), material de transporte (R$ 1,5 bilhão) e mecânica (R$ 900 milhões). Para a Agropecuária, em fase de recuperação, o BNDES liberou, no mesmo período, R$ 3,4 bilhões (alta de 100,6%). Outro setor que apresentou crescimento expressivo, de 144%, foi Comércio e Serviços, com desembolsos de R$ 7,5 bilhões.

No mês de abril, isoladamente, o BNDES desembolsou R$ 10,2 bilhões em financiamentos, 28% acima dos R$ 7,9 bilhões de abril de 2009. Do total das liberações no mês, a Indústria respondeu por R$ 2,8 bilhões, com queda de 2,7%, devido, essencialmente, aos segmentos de celulose e papel e extrativa mineral. Ao setor de Infraestrutura foram desembolsados R$ 4,1 bilhões, à Agropecuária, R$ 825 milhões e a Comércio e Serviços, R$ 2,3 bilhões.

(Redação - Agência IN)