Sem EUA, bolsas mundiais fecham em direções opostas

SÃO PAULO, 31 de maio de 2010 - Na ausência dos índices acionários norte-americanos e de Londres, devido ao feriado de Memorial Day e dos Bancários, a bolsa brasileira encerrou a última sessão do mês em terreno positivo, apesar da instabilidade no velho continente.

Por lá, os índices acionários acabaram em direções opostas, com os investidores digerindo novos dados e ainda preocupados com a saúde financeira de alguns países. Ao final do pregão, o DAX, de Frankfurt, ganhou 0,31%, aos 5.964 pontos. O CAC-40, de Paris, por sua vez, desvalorizou 0,21%, aos 3.507 pontos.

Na Argentina, o índice Merval, da bolsa de valores de Buenos Aires finalizou em alta de 1,62%, aos 2.203 pontos.

E no Brasil, sem a referência externa, o Índice Bovespa cresceu 1,77%, refletindo a valorização das blue chips Vale e Petrobras. No fim do dia, o Ibovespa marcou 63.046 pontos. O giro financeiro da bolsa ficou em R$ 3,895 bilhões. No mês, o índice caiu 6,63%.

Na renda fixa, a curva de juros futuros fechou sinalizando estabilidade no curto prazo e queda nos vencimentos mais longos. O contrato de Depósito Interfinanceiro (DI) com vencimento em janeiro de 2011 registrou taxa anual de 10,98%. E no câmbio, o dólar comercial encerrou em alta, vendido a R$ 1,82.

(Redação - Agência IN)