Primeiro-ministro turco defende fim de armas nucleares

SÃO PAULO, 28 de maio de 2010 - O primeiro-ministro da Turquia, Recep Tayyip Erdogan, voltou a condenar os países que detêm armas nucleares e alertou para necessidade da eliminação desses arsenais para que a paz na humanidade seja alcançada.

Ao discursar hoje na abertura do 3º Fórum Mundial da Aliança de Civilizações, ele classificou de intolerantes e desumanos quem promoveu os atos de terrorismo em Nova York, Londres e Madri. Mas enfatizou que também foi desumano responsabilizar os muçulmanos pelos ataques.

"É errado caracterizar o Islã e os membros dessa religião como terrorismo. Acho que o sentido de igualdade deve fazer parte das relações internacionais e que o conceito de segurança não pode ser diferente no mundo. Claro que choramos pelas crianças mortas pelos conflitos no Afeganistão, em Gaza, mas também choramos por aquelas que morreram nos terremotos do Chile e do Haiti", destacou.

No discurso, Erdogan convocou todos os 100 países-membros da Aliança das Civilizações a serem protagonistas na luta por soluções contra a pobreza, o terrorismo, as armas nucleares, as doenças contagiosas e o tráfico humano e de drogas. "Nosso objetivo é buscar um mundo de solidariedade", ressaltou o primeiro-ministro. As informações são da Agência Brasil.

(Redação - Agência IN)