Kirchner descarta restrições a alimentos brasileiros

SÃO PAULO, 28 de maio de 2010 - A presidente da Argentina, Cristina Kirchner, descartou nesta sexta-feira que seu país vá impor restrições à importação de alimentos brasileiros. "Não haverá restrições e sim aprofundamento das relações comerciais, aumento do intercâmbio", disse Kirchner após uma reunião bilateral com o presidente Luiz Inácio Lula da Silva, no Rio de Janeiro.

Segundo informações extraoficiais, a Argentina estaria disposta a aplicar restrições à importação de alimentos que também produzidos em seu território.

Na quarta-feira, o secretário de Comércio do Ministério de Desenvolvimento, Indústria e Comércio Exterior, Welber Barral, advertiu que o Brasil adotaria represálias contra qualquer restrição da Argentina.

Segundo Cristina Kirchner, o presidente Lula enviará uma missão ao país vizinho, incluindo os ministros da Fazenda, Guido Mantega, e do Desenvolvimento, Miguel Jorge, para discutir as medidas de ampliação do comércio entre Brasil e Argentina.

Em 2009, o fluxo comercial entre brasileiros e argentinos foi de pouco mais de US$ 24 bilhões, sensivelmente menor do que em 2008, quando as transações comerciais entre ambos somaram US$ 30,8 bilhões. Os presidentes se reuniram nesta sexta-feira paralelamente ao III Fórum da Aliança das Civilizações.

(Redação com AFP - Agência IN)