Ibovespa pode cair para 52.000 pontos

SÃO PAULO, 19 de maio de 2010 - O rompimento das tendências de longo prazo de diversos ativos, registrado nos últimos dias, poderá agravar o cenário de piora dos mercados globais atualmente em curso. Desse modo, se esses rompimentos forem mantidos ao longo da próxima semana, poderão significar reversões de tendência de longo prazo e quando muitos ativos tem dinâmica similar o quadro fica mais claro. Neste caso, o Ibovespa poderá cair para a região de 52.000 pontos. Avalia os executivos da consultoria Wagner Investimentos, Milton Wagner e José Raymundo Faria Jr.

Como base para a análise, os consultores citam o petróleo, o CRB (cesta de commodities), o Treasury Note de 10 anos e o Ibovespa. O petróleo, por exemplo, está rompendo a concentração de longo prazo, para baixo, no patamar de $75.00; o CRB (cesta de commodities) está rompendo a concentração de longo prazo, para baixo, no patamar de 260.00 pontos; o Treasury Note de 10 anos está rompendo, para cima, a concentração de longo prazo no patamar de 119,04; e o Ibovespa está rompendo, para baixo, a concentração de longo prazo na região de 62.000 pontos.

As principais razões destes movimentos têm origem na Europa (desconfiança da eficácia do pacote de US$1 trilhão de dólares e a provável proibição das vendas a descoberto na Alemanha); na China (que está tomando medidas para esfriar o mercado de casas e, consequentemente, reduzir a expansão do PIB) e nos EUA (nova Lei do Senado que proíbe o país de participar, via FMI, do socorro de US$ 250 bilhões; com novas Leis que limitam as taxas cobradas por cartões de créditos e com temor de investigação nos bancos que venderam produtos de hipoteca subprime), explicam os consultores da Wagner Investimentos.

(MLC - Agência IN)