Eurolat pode estreitar relações da Europa, A.L. e Caribe

SÃO PAULO, 18 de maio de 2010 - As relações entre os países que integram a Europa, a América Latina e o Caribe tendem a se estreitar, depois da cúpula promovida em Madri, na Espanha. A expectativa está depositada na criação da Fundação Eurolat (Europa e América Latina). A fundação é uma iniciativa do primeiro-ministro espanhol, José Luís Zapatero, e foi proposta em 2006, em Viena, na Áustria. A criação do órgão deve ocorrer durante a 6ª Cúpula União Europeia, América Latina e Caribe.

O presidente Luiz Inácio Lula da Silva e líderes mundiais estão presentes no encontro. O objetivo da fundação é reunir as sociedades civis dos dois continentes para pôr em prática propostas em vários setores. De acordo com informações de negociadores italianos, a Fundação Eurolat reunirá universidades, centros de pesquisa, instituições financeiras e entidades empreendedoras.

Durante a abertura da cúpula hoje, a presidente da Argentina, Cristina Kirchner, em nome dos latino-americanos, reclamou do tratamento discriminatório dado aos imigrantes que vivem em países europeus. Segundo ela, em momentos de crise econômica, como o atual, os imigrantes são responsabilizados e punidos. Ela apelou para a sensibilidade dos governantes europeus à causa.

O primeiro-ministro italiano, Silvio Berlusconi, já formalizou a candidatura da cidade de Milão como sede da Eurolat. A informação é do vice-ministro italiano da Educação, Giuseppe Pizza. A cidade de Milão é capital da região italiana da Lombardia e enfrenta a disputa com Paris - a capital francesa - e Hamburgo, na Alemanha.

De acordo com o ministro italiano, o governo da Lombardia ofereceu um andar inteiro do edifício Grattacielo Pirelli, conhecido como Pirellone, para sediar os escritórios da nova fundação. O prédio fica no centro de Milão. As informações são da Agência Brasil.

(Redação - Agência IN)