Bovespa fecha com terceira queda consecutiva

Portal Terra

SÃO PAULO - Após flertar com as mínimas desde outubro, a Bovespa teve as perdas minoradas no final, com a virada para cima em Wall Street, mas cravou a terceira queda seguida, em meio ao declínio das commodities, nesta segunda-feira também marcada pelo exercício de opções.. O Ibovespa, principal índice acionário do País, registrou recuo de 0,86%, indo aos 62.866 pontos. O dia teve volume negociado de R$ 9,9 bilhões.

O giro foi calibrado pelos R$ 2,42 bilhões do exercício dos contratos de opções. Deste montante, R$ 1,92 bilhão foram de opções de venda, configurando a vitória dos vendidos, os investidores que apostam na queda das ações.

De acordo com profissionais do mercado, diante das incertezas econômicas que vem se espalhando, os investidores seguiram realinhando suas posições, contando com um horizonte mundial mais adverso.

Não bastassem as preocupações com a combalida economia europeia, um índice mostrando que a economia chinesa já teria superado seu crescimento potencial ampliou os temores de que o governo local tome novas medidas para tentar conter o ritmo de expansão, cenário que produziu queda imediata das commodities.

"O mercado está embutindo nos preços que a China vai adotar novas medidas para desaquecer a economia e isso vai ter impacto sobre toda a economia mundial", disse a equipe de pesquisa da Brava Investimentos.

O euro atingiu a menor cotação frente ao dólar em quatro anos. O avanço da moeda americana provocou ajuste nos preços das commodities, movimento pontuado pelo petróleo, cujo barril voltou à casa dos US$ 70, o piso em 5 meses. O principal índice de ações chinês teve a maior queda em 2010.

O efeito da forte queda das commodities pesou sobre importantes ações domésticas. O papel preferencial da Vale caiu 1,84%, a R$ 41,61. A preferencial da Petrobras devolveu 0,8%, a R$ 29,85.

Enquanto isso, os investidores se debruçaram sobre os derradeiros balanços de companhias domésticas do primeiro trimestre, temporada que termina ainda nesta segunda-feira com a Eletrobrás.

A B2W, empresa de vendas por meios eletrônicos, foi multada em cerca de R$ 1,5 milhão por descumprir Termo de Compromisso de Ajuste (TAC) sobre sua conduta com os clientes. As ações da empresa no bolsa sentiram e tiveram queda de 6,14%, a segunda maior do dia entre os papéis do Ibovespa.

A maior queda foi da Braskem, com 7,98% de desvalorização. Usiminas foi o terceiro papel na lista de piores desempenhos do principal índice do País, com 5,5% de recuo.

No pregão, quem acusou mais fortemente a reação (negativa) do mercado ao relatório do primeiro trimestre foi a companhia aérea TAM, que teve prejuízo líquido de R$ 58,1 milhões no período, fazendo sua ação baixar 5%, a R$ 26,75.