América Latina já exporta mais do que importa da Europa

SÃO PAULO, 17 de maio de 2010 - A América Latina e o Caribe registraram em 2009 superávit de ? 8,5 bilhões (US$ 10,5 bilhões) em suas transações com a União Europeia (UE), revertendo a tendência de 2000, segundo dados da agência Eurostat, que indicam, além disso, que o Brasil é o principal sócio comercial dos 27 países do bloco.

Entre 2000 e 2009, as exportações dos 27 países da União Europeia (UE) para a América Latina aumentaram de ? 59 bilhões a ? 65 bilhões, menos que suas importações, que passaram de ? 54 bilhões a ? 74,4 bilhões, afirma a agência europeia de estatísticas.

Desta forma, a balança comercial europeia com os 33 países da América Latina e do Caribe (ALC) passou de um superávit de ? 5 bilhões de euros em 2000 a um déficit de ? 8,5 bilhões em 2009.

Esta mudança é o resultado de uma alta da fatura de matérias-primas latino-americanas, enquanto que o excedente em produtos manufaturados foi estável. A região ALC representou pouco mais de 6% do total do comércio externo de bens da UE em 2009, segundo a Eurostat.

O Brasil é o maior sócio comercial da UE e foi o principal destino das exportações do bloco em 2009 (33% do total), seguido do México (24%).

A primeira fonte de importações do bloco foi igualmente o Brasil (34%), seguido do México (13%) e da Argentina (11%).

Entre os Estados membros da UE, a Alemanha é o primeiro sócio comercial da região ALC e, de longe, o principal exportador dos 27, com um total de ? 18,5 bilhões no ano passado, ou seja, 28% do total, seguido da Itália (13%), França (12%) e Espanha (11%).

(Redação com AFP - Agência IN)