Dólar tem leve alta em dia de agenda fraca; Bernanke é destaque

SÃO PAULO, 13 de maio de 2010 - Com agenda fraca, os investidores voltam suas atenções para o discurso do presidente do Federal Reserve (Fed, banco central dos Estados Unidos), Ben Bernanke. Nesta manhã, os mercados replicam o comportamento indefinido e defensivo da véspera, com leve viés positivo em algumas bolsas, enquanto no mercado de moedas, o euro e a libra caem um pouco mais ante o dólar.

Em conferência na Filadélfia, Bernanke participa de uma sessão de perguntas e respostas e a participação do Fed no pacote de ajuda à zona do euro, com uma nova linha de swap de dólares para uso dos países endividados do bloco, deverá estar no foco das questões.

Instantes atrás, a moeda norte-americana subia 0,17%, a R$ 1,774 na compra e R$ 1,776 na venda. No mês, a divisa norte-americana acumula ganhos de 2,07%. "Se ao longo do dia o viés positivo se firmar lá fora e aqui, o dólar deve oscilar entre os R$ 1,76 e R$ 1,78, enquanto o Ibovespa pode voltar a operar um pouco acima dos 65 mil pontos. Ao contrário, se no decorrer do pregão alguma novidade negativa fizer com que a aversão ao risco predomine, o dólar deve continuar oscilando no intervalo de R$ 1,78 a R$ 1,80 e o Ibovespa pode romper os 64 mil pontos", estima Miriam Tavares, diretora de câmbio da AGK corretora.

Segundo a executiva, ainda que o cenário externo esteja carregado de dúvidas, o nível de reservas brasileiras, a boa posição do país no cenário global e o alto diferencial de juros praticados no Brasil devem limitar desvalorizações muito acentuadas do real.

(Simone e Silva Bernardino - Agência IN)