Exportações de abril registram recorde para a média do mês

SÃO PAULO, 12 de maio de 2010 - O Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento (Mapa) informou hoje que os embarques de produtos agropecuários totalizaram US$ 6,373 bilhões em abril deste ano, representando um recorde na série histórica do quarto mês do ano. O valor é 16,2% superior ao mesmo período de 2009.

Com o montante importado de US$ 994,4 milhões, o superávit da balança comercial do agronegócio foi de US$ 5,378 bilhões. O diretor de promoção internacional do agronegócio do Ministério da Agricultura, Eduardo Sampaio, enfatiza que o resultado supera em 11% o de abril de 2008. "Naquele mês, o total foi de US$ 5,722 bilhões, caracterizando o melhor da série histórica. Até mesmo o acumulado de janeiro a abril foi 6% superior ao primeiro quadrimestre daquele ano, considerado excepcional para o agronegócio", informou.

O bom desempenho das vendas externas de abril foi puxado pelo complexo sucroalcooleiro (35,9%), produtos florestais (27,9%), complexo soja (7,6%), carnes (14,8%), couros e seus produtos (63,1%), café (18,5%), fumo e seus produtos (30,1%) e animais vivos (64,8%).

O destaque fica por conta do complexo sucroalcooleiro, cujas exportações apresentaram crescimento de 35,9% (passando de US$ 498 milhões para US$ 677 milhões). A alta é resultado do aumento dos preços do açúcar (55,1%) e do etanol (67,2%), uma vez que a volume exportado de açúcar aumentou apenas 4,3% e a quantidade embarcada de etanol teve redução de 86,1%, em relação a abril de 2009. O valor embarcado de açúcar totalizou US$ 655 milhões, 61,8% superior a 2009. O montante das vendas internacionais de etanol diminuiu 76,7%, totalizando US$ 22 milhões.

Na análise por destinos, os valores exportados aumentaram para a maioria dos blocos econômicos e regiões: União Europeia (3,2%), Ásia (14,2%), Nafta (25,9%), Oriente Médio (14,9%), Europa Oriental (100,2%) e Mercosul (33,8%). Taxas positivas de variação também predominaram na maioria dos países. Destacaram-se as vendas para Tailândia (97,8%), Rússia (96,6%), Venezuela (84,3%), Irã (49,9%), Argentina (42%), Arábia Saudita (32,6%) e China (31,9%).

(Redação - Agência IN)