Dólar recua em dia de clima ameno e de ganhos nas bolsas

SÃO PAULO, 12 de maio de 2010 - O crescimento econômico europeu afasta, pelo menos por ora, o clima de tensão em torno da crise fiscal, conduzindo os principais mercados de risco a uma manhã de ganhos. As commodities e as bolsas sobem enquanto o euro recupera terreno. Por aqui, o dólar fechou a primeira etapa em baixa de 0,56%, vendido a R$ 1,775.

Ainda assim, o tom de cautela prevalece diante da persistente incerteza sobre como economias com crescimento lento vão conseguir implementar medidas drásticas para reduzir seus déficits. De acordo com a agência Eurostat, o Produto Interno Bruto (PIB) da zona do euro cresceu 0,2% nos primeiros três meses do ano, na passagem trimestral, superando as estimativas. Na França, a segunda maior economia do bloco, o crescimento foi de apenas 0,1%, na Alemanha de 0,2%. Já a Grécia viu sua economia encolher 0,8%. "Os números fracos mostram que a tarefa para recolocar as contas em ordem, diante do baixo dinamismo da economia é ardua", comenta um operador.

Ainda na região, destaque positivo para a decisão da Espanha de congelar os salários do funcionalismo público e cortar postos em programas de assistência social, a fim de reduzir o déficit fiscal para cerca de 6% de seu PIB.

Em relatório, a SLW corretora avalia que com a saída da Europa do radar, a expectativa é de uma recuperação de rentabilidade em nossa bolsa de valores, mas ainda muito dependente da retomada do fluxo de investidores estrangeiros.

Mantendo a rotina, o BC voltou a comprar dólares no mercado à vista. A taxa de corte saiu a R$ 1,7718.

(Simone e Silva Bernardino - Agência IN)