Dados positivos fazem bolsas dos EUA dispararem

SÃO PAULO, 12 de maio de 2010 - Motivados por dados positivos da Europa e dos Estados Unidos, os principais índices acionários de Wall Street encerraram a quarta-feira em alta.

Ao final do pregão, em Nova York, o índice Dow Jones Industrial Average subiu 1,38%, aos 10.896 pontos. O S&P 500 avançou 1,37%, aos 1.171 pontos. E na bolsa eletrônica, o índice composto Nasdaq teve valorização de 2,09% aos 2.425 pontos.

Dentre os números, o Produto Interno Bruto (PIB) da zona do euro registrou crescimento de 0,2% durante o primeiro trimestre de 2010, em comparação com o trimestre anterior, de acordo com prévia da Eurostat. Além disso, a produção industrial na zona do euro aumentou 1,3% em março de 2010, ante fevereiro. Já a economia alemã registrou um inesperado crescimento de 0,2% em seu PIB no primeiro trimestre deste ano em relação ao trimestre anterior.

Para Pedro Galdi, analista de investimentos da SLW Corretora, os dados positivos da Europa levaram tranquilidade aos Estados Unidos. "Houve alívio na operação de hoje, por conta dos números modestos, mas que indicam saída da recessão em vários países europeus. Além disso, os cortes anunciados na Espanha também amenizaram a instabilidade", explicou ao referir-se ao plano de austeridade anunciado hoje pelo governo espanhol, que cortará salários e aposentadorias.

No cenário interno norte-americano, o número de solicitações de empréstimos hipotecários avançou 3,9% na semana encerrada no dia 07 de maio, ante a semana anterior, já com ajustes sazonais.

Por sua vez, a balança comercial registrou déficit de US$ 40,4 bilhões em março deste ano. No mês anterior, o déficit foi de US$ 39,4 bilhões (dado revisado). E os estoques de petróleo cresceram 1,9 milhão de barris na semana encerrada no dia 7, na comparação com a semana anterior.

No entanto, o governo dos Estados Unidos anunciou hoje déficit orçamentário maior que o previsto em abril, de US$ 82,690 bilhões. A maioria dos analistas previa que o déficit de abril, o 19° consecutivo, fosse de US$ 52 bilhões.

(Humberto Domiciano - Agência IN)