Bolsas mundiais terminam sessão em alta

SÃO PAULO, 12 de maio de 2010 - O bom humor dos investidores dominou os negócios nos principais índices acionários mundiais. O movimento refletiu notícias positivas vindas da Europa e dos Estados Unidos.

No velho continente, as bolsas tiveram ganhos importantes diante das perdas dos últimos dias. Dentre os destaques, a Espanha anunciou medidas para reduzir o déficit fiscal e o Produto Interno Bruto (PIB) da zona do euro subiu 0,2% no primeiro trimestre. Diante disso, ao final dos negócios, o índice FTSE-100, de Londres, subiu 0,92%, aos 5.383 pontos, o DAX, de Frankfurt, cresceu 2,41%, aos 6.183 pontos e o CAC-40, de Paris, valorizou 1,10%, aos 3.733 pontos.

Nos Estados Unidos, os índices acionários também terminaram em alta, acompanhando a melhora do humor no mercado global. Por lá, a balança comercial teve déficit de US$ 40 bilhões em março deste ano. Ao final do pregão, em Nova York, o índice Dow Jones Industrial Average subiu 1,38%, aos 10.896 pontos. O S&P 500 avançou 1,37%, aos 1.171 pontos. E na bolsa eletrônica, o índice composto Nasdaq teve valorização de 2,09% aos 2.425 pontos.

Já na Argentina, o índice Merval, da Bolsa de Valores de Buenos Aires, encerrou a sessão desta quarta-feira com expansão de 0,47%, aos 2.300 pontos.

E no Brasil, o Índice Bovespa acabou o pregão com ganhos de 1,24%, aos 65.223 pontos. O giro financeiro da bolsa totalizou R$ 5,441 bilhões. As informações positivas da Europa e Estados Unidos motivaram as compras no mercado acionário local.

Na renda fixa, os juros futuros tiveram poucas oscilações no curto prazo. O Depósito Interfinanceiro (DI) com vencimento em janeiro e 2011 apontou taxa anual de 11,13%. No câmbio, o dólar comercial finalizou em queda, vendido a R$ 1,77.

E por último nas commodities, os preços do petróleo encerraram em direções opostas, em resposta aos níveis das reservas da matéria-prima nos Estados Unidos. A cotação do barril de petróleo do tipo WTI, com vencimento em junho, fechou em baixa de 0,9%, vendido a US$ 75,65, na Bolsa de Mercadorias de Nova York (NYMEX, sigla em inglês). E o barril do tipo Brent, também com vencimento em junho, subiu 0,9%, para US$ 81,20 no ICE Exchange de Londres.

(Redação - Agência IN)