SP tem maior número de empregos formais na construção civil

SÃO PAULO, 11 de maio de 2010 - O Estado de São Paulo lidera o ranking das regiões que possuem maior número de empregos formais na construção civil, de acordo com o Departamento Intersindical de Estatística e Estudos Socioeconômicos (Dieese).

Nas primeiras colocações se encontram: São Paulo (514.364), Minas Gerais (259.470) e Rio de Janeiro (182.636) que juntos corresponderam a quase 50% do total, no final de 2008. Em contrapartida, os que apresentaram o menor número foram Amapá (3.257), Roraima (4.264) e Acre (6.632).

O setor da construção possuía, em 2008, 6,905 milhões ocupados, ou seja 7,5% de toda a população ocupada de 92,395 milhões, segundo a Pesquisa Nacional por Amostra de Domicílio (Pnad) realizada pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE), no mês de setembro daquele ano.

Ainda segundo essa pesquisa, a maioria dos ocupados do setor, 2.709.138, é representada pelos empregados por conta própria (39,2%) e pelos sem carteira de trabalho assinada (24,6%). Tal situação mostra que o setor possui um elevado grau de informalidade.

Essa realidade é evidenciada quando se observa que, do total de ocupados, apenas 28,5% correspondiam a empregados com carteira de trabalho assinada.

Segundo o Dieese, "os dados da Relação Anual de Informações Sociais (Rais) de 2008, divulgados pelo Ministério do Trabalho e Emprego confirmam as estimativas da Pnad/IBGE, demonstrando que apenas 1.914.596 ocupados na Construção Civil eram trabalhadores formais no final de 2008, descontadas as perdas de postos de trabalho que ocorreram de setembro a dezembro deste ano, em consequência dos efeitos da crise".

(Redação - Agência IN)