Lucro da Marcopolo avança 221,4% no primeiro trimestre

SÃO PAULO, 11 de maio de 2010 - A Marcopolo (POMO4), fabricante mundial de ônibus, obteve lucro líquido de R$ 69,1 milhões no primeiro trimestre de 2010 ante o mesmo período do ano anterior, quando somou R$ 21,5 milhões, expansão de 221,4% no período.

Por sua vez, a receita líquida consolidada foi de R$ 679,2 milhões no primeiro trimestre ante os três primeiros meses de 2009, alta de 46,6% na receita líquida (R$ 463,4 milhões, no primeiro trimestre de 2009).

A montadora informou que de janeiro a março de 2010 a produção mundial alcançou 6.134 unidades, expansão de 55,9%, quando somou 3.935 unidades entre janeiro e março do ano passado.

Os negócios fechados, desde o ano passado, para fornecimento de ônibus para a Copa do Mundo de Futebol, totalizaram quase 700 unidades e, ao lado do expressivo crescimento de produção nas fábricas da Índia - 211,3% - foram os principais destaques para o desempenho obtido.

Na África do Sul, a produção da fábrica da Marcopolo, mais as unidades PKDs enviadas desde o Brasil e acopladas localmente, resultaram em crescimento de 282,6%. Foram montados 264 ônibus, contra 69 unidades no mesmo período do ano passado. As entregas de veículos para a FIFA e também para os sistemas de transporte urbanos das cidades-sede vêm sendo realizadas desde janeiro e serão concluídas até o final de maio.

"O fornecimento para a Copa do Mundo foi fundamental para o resultado da Marcopolo neste primeiro trimestre, tanto pelo volume quanto pelo alto valor agregado aos veículos. Os modelos, rodoviários de alto luxo e urbanos articulados extremamente modernos, nos permitiram obter uma margem maior do que conseguimos com os veículos convencionais", destaca o diretor-geral da Marcopolo, José Rubens de la Rosa.

Na Índia, no primeiro trimestre saíram, das duas plantas que a Marcopolo possui em parceria com a Tata Motors, 1.320 ônibus. A operação indiana consolida-se assim como a maior unidade, em volume de produção, da fabricante brasileira no exterior. A previsão para este ano é superar dos quais 6.000 referentes à Marcopolo.

As demais unidades no exterior também apresentaram crescimento, com exceção da fábrica do México. Na Colômbia, foram fabricadas 189 unidades, 8,6% a mais que em 2009. No Egito, a nova unidade - fruto da joint venture com a GB AUTO - atingiu produção de 105 veículos, fornecidos para o mercado local. Na Argentina, o aumento foi de 17,5%, com 134 unidades. "Somente o México caiu, fruto ainda da crise mundial, com apenas 85 ônibus. Mas o mercado local já deu alguns sinais de recuperação e esperamos retomar os níveis de produção no segundo semestre", comenta de la Rosa.

(Redação - Agência IN)