Bom humor dos investidores dura pouco e dólar fica estável

SÃO PAULO, 11 de maio de 2010 - O bom humor dos mercados internacionais durou pouco e as moedas voltam a perder do dólar nesta terça-feira, em meio à desconfiança de que o pacote de ajuda proposto pela União Europeia em conjunto com o Fundo Monetário Internacional (FMI) não seja capaz de estabilizar o mercado europeu.

Segundo os economistas do Banco Fator, as preocupações agora é com o ritmo de crescimento da Europa, que deve ser pífio dado o comprometimento com aperto e rigor fiscal, base do novo pacote. Por lá, Portugal e Espanha preparam planos de aperto fiscal que devem ser anunciados em breve. O euro, que ontem reagiu com muito mais timidez do que as bolsas, volta a cair hoje em relação ao dólar e está abaixo da cotação antes do anúncio das medidas. A libra também perde do dólar, as commodities voltam a cair e bolsas operam voláteis.

Soma-se ao cenário os temores de novas medidas contracionistas na China, após dados apontarem que a atividade continuou crescendo em ritmo forte no começo do segundo trimestre, inclusive com aceleração da inflação. "O receio de que mais medidas serão adotadas para desacelerar o ritmo de expansão influencia os mercados", destaca um operador. No fim da manhã, o dólar estabilizou a R$ 1,778 na venda.

No acumulado do ano até abril, a produção industrial chinesa avançou 17,8%, as vendas no varejo cresceram 18,1% e os investimentos em ativos fixos 26,1%, tudo isso em base anual. Em abril, os preços das propriedades subiram 12,8% em relação a igual período de 2009, mesmo com medidas focadas para esfriar o segmento imobiliário. Os novos empréstimos somaram 774 bilhões de yuans e já atingem 45% da meta do ano em 4 meses. O índice de preços ao consumidor acumulado em 12 meses findos em abril acelerou para 2,8% (de 2,4%), maior patamar em 18 meses, e o índice de preços ao produtor avançou para 6,8% (de 5,9%) na mesma medição. Todos os indicadores, exceto produção industrial, ficaram acima do esperado.

(Simone e Silva Bernardino - Agência IN)