Uso do cheque pré-datado aumenta em março

SÃO PAULO, 26 de abril de 2010 - O uso do cheque pré-datado aumentou durante o mês de março. De acordo com a última pesquisa divulgada pela TeleCheque, empresa especializada em verificação de crédito em compras com cheques, 79,29% das compras realizadas no Brasil durante o mês foram pré-datadas. Esses números equivalem a um crescimento de 0,97% frente a fevereiro.

"Esse cenário é reflexo da estratégia que o varejo vem adotando para aumentar as vendas por meio de compras parceladas. Este movimento tem tido um bom resultado já que, desde de janeiro de 2010, o uso de pré-datados está em crescente evolução", explica José Antônio Praxedes Neto, vice-presidente da TeleCheque.

Para os próximos meses, a previsão da TeleCheque é de ter ainda um crescimento moderado no uso de pré-datados e alcance cerca de 81%. "Esta tendência, deve-se ao fato de que o pré-datado é um dos principais instrumentos de crédito no país, sofrendo influência direta das medidas que vem sendo adotadas pelo Banco Central visando a contenção de consumo - como o aumento da Selic - já que o relacionamento do crédito nesta modalidade, em sua maioria, é feito diretamente entre lojista e consumidor", destaca Praxedes.

Por outro lado, a pesquisa da TeleCheque mostrou uma queda dos pré-datados em relação ao mesmo período do ano anterior (1,26%), mas totalmente justificável. "Como o mercado está mais estabilizado e com mais poder aquisitivo, uma parte das compras, principalmente de valores mais baixos, estão sendo adquiridas à vista ", finaliza o vice-presidente.

No ranking por Estados, a liderança ficou, pelo segundo mês consecutivo, com Pernambuco (89,13%) que teve alta de 1,41% em relação a fevereiro e uma diminuição de apenas 0,26% frente a março de 2009. Na sequência do ranking está o Estado do Rio Grande do Norte (87,68%), Sergipe (85,67%), Goiás (85,22%) e Maranhão (85,19%).

No ranking por segmentos, pela segunda vez, a liderança ficou com o setor de Calçados (89,03%), com um crescimento de 1,95% em relação ao mês anterior. Em seguida estão Móveis e Decoração (87,43%), que subiu duas posições e registrou um aumento de 2,03%, e Supermercados (86,50%), que pulou da sexta para a terceira posição, com uma expansão de 1,84%.

Os critérios de pesquisa da TeleCheque levam em conta os valores em reais das transações com cheques - e não a quantidade de folhas de cheques emitidas - metodologia considerada mais adequada à realidade e às necessidades do varejo.

(Redação - Agência IN)