Prêmios dos DIs abrem sem direção definida na BM&FBovespa

SÃO PAULO, 26 de abril de 2010 - As projeções de juros embutidas nos contratos de Depósito Interfinanceiro (DI) abriram sem direção definida. Há pouco, o contrato de DI com vencimento em 2011 projetava juro de 10,76%, ante 10,74% do ajuste anterior. O DI com vencimento em janeiro de 2012 apontava taxa anual de 12,07%, mesma do ajuste anterior.

Na agenda do dia, os agentes financeiros avaliam o boletim Focus divulgado nesta manhã pelo Banco Central (BC). Segundo o documento, a estimativa para o crescimento do Produto Interno Bruto (PIB) em 2010 passou de 5,81% para 6%. Já para o próximo ano, a estimativa de crescimento ficou estável, em 4,50%, pela 20ª semana consecutiva.

Ainda avaliando o boletim Focus, os analistas elevaram as apostas para a taxa básica de juros (Selic) deste ano em 0,25 ponto percentual, passando de 11,50%, para 11,75%. Para o próximo ano, a expectativa manteve-se em 11,25%. Já estimativa de inflação (IPCA) para 2010 teve acréscimo, ao passar de 5,32%, para 5,41%. Para 2011, a taxa permaneceu em 4,80%.

Os investidores monitoram também o resultado do Índice de Preços ao Consumidor (IPC) no município de São Paulo, medido pela Fundação Instituto de Pesquisas Econômicas (Fipe/USP), que apresentou aceleração de 0,34% na terceira quadrissemana de abril, superior ao índice da segunda, que foi de 0,23%. "Apesar da alta se comparado com o mês anterior, o índice mantém um nível de inflação baixo se comparado com o início do ano", observa Inês Filipa, economista da ICap Brasil.

O Índice de Preços ao Consumidor Semanal (IPC-S) de 22 de abril decresceu em 4 das 7 capitais pesquisadas, segundo informou a Fundação Getúlio Vargas (FGV). No período, ante a apuração anterior, o índice de inflação avançou em Brasília (de 0,39% para 0,48%), Rio de Janeiro (de 0,95% para 0,96%) e Salvador (de 0,84% para 0,88%).

(Maria de Lourdes Chagas - Agência IN)