Consumo de energia das indústrias eleva 12% em março

SÃO PAULO, 26 de abril de 2010 - A indústria liderou em março a expansão do consumo de energia elétrica no País, com aumento de 12% em relação ao mesmo mês do ano anterior, de acordo com informações da Empresa de Pesquisas Energéticas (EPE).

Foi também expressivo o aumento do consumo nas residências e no setor de comércio e serviços, com taxas de 7,8% e 8%, respectivamente. Como resultado, o consumo total de energia elétrica na rede superou 35,3 mil gigawatts-hora (GWh) no terceiro mês do ano, anotando crescimento de 9,3% em relação a março de 2009.

O primeiro trimestre se encerra, assim, com taxa de expansão de 9,6% e o consumo acumulado em 12 meses apresenta variação positiva de 2%. Apesar de afetadas pela base de comparação baixa do ano passado, as estatísticas de março de 2010 confirmam a tendência já observada nos meses anteriores de recuperação expressiva do nível de atividade na indústria e de robustez na expansão do consumo das famílias e do setor terciário.

Em março, a indústria brasileira demandou da rede 15 mil GWh. É a primeira vez, desde novembro de 2008, que o consumo das indústrias atinge este patamar, evidência da recuperação da atividade setorial como um todo. Neste ano, a expansão da demanda de energia das indústrias já acumula crescimento de 13%.

A recuperação do consumo industrial se observa principalmente nas indústrias siderúrgica e extrativa mineral (em particular, minério de ferro), que estiveram entre as mais atingidas pela crise. Isso explica o crescimento do consumo na região Norte, fortemente condicionado pelo comportamento das indústrias nos estados do Pará (que representa 80% do consumo regional), Minas Gerais (+26%) e Espírito Santo (+60%). Mas a recuperação se dá de forma generalizada também nos demais segmentos da indústria, como evidencia o aumento do consumo em São Paulo (+7,6%), no Rio Grande do Sul (+13,1%) e em Pernambuco (+23%).

No estado gaúcho, destaca-se a recuperação da produção no polo petroquímico e na indústria siderúrgica e no estado nordestino a instalação de novas plantas no segmento alimentos e bebidas no final de 2009 e a intensificação da atividade no estaleiro Atlântico Sul.

Na região Norte, destaca-se mais uma vez o estado de Rondônia, com crescimento de 23%, refletindo a movimentação que a construção das usinas hidrelétricas de Santo Antonio e Jirau causa na economia local.

(SV - Agência IN)