Banco Mundial aprova ampliação de capital de US$ 5,1 bilhões

Agência AFP

WASHINGTON - Os 186 Estados membros do Banco Mundial (Bird) anunciaram neste domingo um acordo para ampliar seu capital em 5,1 bilhões de dólares e para uma transferência de 3,13% dos direitos de voto aos países emergentes. Com a mudança, o peso do voto do Brasil passa de 2,06% para 2,24%.

O acordo permite um aumento de capital em duas operações simultâneas: uma parte será uma ampliação "geral" de 3,5 bilhões de dólares, da qual participarão todos os países, e outra denominada "seletiva", de 1,6 bilhão de dólares, na qual contribuirão os países que querem ver seus direitos de votos aumentados.

Esta ampliação permite, de acordo com um compromisso prévio do Banco Mundial, uma transferência de 3,13% dos direitos de voto aos países "em desenvolvimento e em transição", que engloba basicamente os países emergentes.

A China obtém mais vantagens nessa reforma, com um aumento da influência de seu voto de 2,77% para 4,42%, enquanto o voto da Índia passa de 2,77% para 2,91%.

"Hoje foi um grande dia para o multilateralismo", declarou o presidente do banco, Robert Zoellick, em coletiva de imprensa.