Pedido de ajuda da Grécia derruba Ibovespa

SÃO PAULO, 23 de abril de 2010 - O anúncio de que a Grécia aceitará a ajuda do Fundo Monetário Internacional (FMI) e da União Europeia trouxe pessimismo para a bolsa brasileira, que atrelada ao mercado internacional registrava perdas. Instantes atrás, o Ibovespa caía 0,39%, aos 69.113 pontos. O giro financeiro da bolsa estava em R$ 2,4 bilhões.

Hoje, o primeiro-ministro grego Giorgos Papandreou pediu a ativação do mecanismo de ajuda FMI-União Europeia. O plano de ajuda à Grécia, da União Europeia e do FMI, prevê empréstimos de ? 45 bilhões (cerca de US$ 60 bilhões) com juros de 5%.

Na opinião de Fernando Aguiar, diretor da Codepe Corretora, a situação grega ainda afeta o mercado. "Os reflexos ainda são sentidos. O pedido de ajuda mostra que o problema é grave e isto afasta o investidor dos ativos de maior risco", explicou.

No cenário interno, a movimentação do mercado acontece motivada pelo intraday e pela agenda vazia de indicadores.

Para Aguiar, a possibilidade do Copom aumentar a taxa de juros na semana que vem também está influenciando os investidores. "Muita gente pode esperar um pouco para poder comprar mais barato lá na frente", destacou.

Entre as blue-chips, Vale (PNA) e Petrobras (PN) tem desempenhos opostos. A mineradora opera em baixa de 0,98%, aos R$ 49,20 e a petrolífera em alta de 0,23%, aos R$ 33,68.

Ontem, a Petrobras definiu que pagará R$ 0,13 por ação, a título de dividendos. Além disso, a quarta parcela dos juros sobre o capital próprio (JCP) será de R$ 0,12 por ação.

Por outro lado, os papéis das empresas do setor financeiro sofrem perdas. As ações do Itaú Unibanco (PN) tinham queda de 0,94%, a R$ 37,54 e as do Bradesco (PN) estavam com desvalorização de 1,03%, aos R$ 31,57.

(Humberto Domiciano - Agência IN)