Otimismo com melhora na economia impulsiona bolsas

SÃO PAULO, 23 de abril de 2010 - Pela primeira vez, a situação da Grécia trouxe alívio aos investidores. Além disso, indicadores positivos nos Estados Unidos, sinalizando melhora na economia norte-americana, fizeram com que as principais bolsas mundiais encerrassem a sexta-feira em alta.

Diante disso, Wall Street finalizou com ganhos. As vendas dos imóveis novos nos Estados Unidos apresentaram alta de 26,9% em março deste ano, na comparação com o mês anterior, o que surpreendeu os investidores. Porém, os novos pedidos de bens duráveis às indústrias norte-americanas recuaram 1,3% na mesma base de comparação. Apesar de ter vindo abaixo, ainda veio bom e os agentes repercutiram a contínua melhora na economia. Ao final do pregão, em Nova York, o índice Dow Jones Industrial Average subiu 0,61%, aos 11.202 pontos. O S&P 500 ganhou 0,71%, aos 1.217 pontos. E na bolsa eletrônica, o índice composto Nasdaq teve alta de 0,44%, aos 2.530 pontos.

Na Europa, o mercado se voltou para a Grécia e os índices acionários europeus fecharam com avanço. Segundo Newton Rosa, o pedido formal da Grécia de ajuda financeira ao Fundo Monetário Internacional e à União Europeia, tirou o temor de um possível default.

Na Argentina, o índice Merval, da bolsa de valores de Buenos Aires fechou com valorização de 0,68%, aos 2.447 pontos.

Por aqui, após dia instável, o Ibovespa seguiu o ritmo das bolsas norte-americanas e finalizou com alta 0,18%, aos 69.509 pontos. As blue chips Petrobras e Gerdau seguraram os ganhos. O giro financeiro ficou em R$ 5,26 bilhões. Na semana, o índice acumula ganhos de 0,12%.

Na renda fixa, as projeções de juros embutidas nos Certificados de Depósito Interfinanceiro (CDI) apontaram avanço, à espera do Copom. O DI com vencimento em janeiro de 2011 finalizou com taxa anual de 10,73%. No câmbio, o dólar fechou em queda de 0,06%, vendido a R$ 1,76.

E nas commodities, o preço do barril de petróleo fechou em alta no mercado internacional, impulsionados pela queda do dólar em relação ao euro. A cotação do barril do tipo WTI, com vencimento em maio, fechou em alta de 1,7%, vendido a US$ 85,12, na Bolsa de Mercadorias de Nova York (NYMEX, sigla em inglês). E o barril do tipo Brent, com vencimento em junho, avançou 1,8%, para US$ 87,25 no ICE Exchange de Londres.

(Redação - Agência IN)