Ajustes do mercado e Grécia fazem bolsas europeias subirem

SÃO PAULO, 23 de abril de 2010 - Os ajustes no mercado europeu, com o retorno dos investimentos e o pedido de ajuda da Grécia ao Fundo Monetário Internacional e à União Europeia fizeram com que os principais índices acionários europeus encerrassem a sexta-feira em alta.

Ao final do pregão, o índice FTSE-100, de Londres, avançou 1,03%, aos 5.723 pontos, o DAX, de Frankfurt, teve alta de 1,47%, aos 6.259 pontos e o CAC-40, de Paris, ganhou 0,68%, aos 3.951 pontos.

Para Fernando Aguiar, diretor da Codepe Corretora, com o melhoria na situação da Grécia, o investidor pode voltar a adquirir ativos no mercado do velho continente. "Quando a crise estourou, houve fuga de investimentos da Europa para os mercados emergentes. Agora, tenho a impressão que haverá um retorno aos níveis anteriores", explicou.

O primeiro-ministro grego Giorgos Papandreou pediu hoje a ativação do mecanismo de ajuda FMI-União Europeia. O plano de ajuda à Grécia prevê empréstimos de ?45 bilhões (cerca de US$ 60 bilhões) com juros de 5%. O FMI prometeu responder rapidamente ao pedido de ajuda financeira.

Além disso, os novos pedidos às indústrias nos 16 países que compõem a zona do euro registrou acréscimo de 1,5% em fevereiro deste ano, na comparação com o mês anterior.

Por sua vez, o índice que mede a confiança do empresário da indústria e do comércio na Alemanha, avançou para 101,6 pontos em abril deste ano, contra 98,2 pontos em março. O índice da situação atual também registrou acréscimo significativo, ao avançar de 94,5 pontos em março, para 99,3 pontos neste mês.

E o Produto Interno Bruto (PIB) do Reino Unido registrou crescimento de 0,2% no primeiro trimestre do ano, em comparação com os três meses anteriores. Este é o segundo trimestre consecutivo de aumento, mas os números divulgados nesta sexta são mais baixos que as estimativas dos analistas, que tinham calculado alta de 0,4%.

(Humberto Domiciano - Agência IN)