Wall Street fecha em alta

Agência AFP

NOVA YORK - A Bolsa de Nova York fechou em alta nesta quinta-feira, distanciando-se dos temores sobre as dívidas soberanas na Europa e aproveitando o avanço dos papéis bancários: Dow Jones ganhou 0,08% e Nasdaq, 0,58%.

Segundo números definitivos do fechamento, o Dow Jones Industrial Average subiu 9,37 pontos, a 11.134,29 unidades, e o Nasdaq ganhou 14,46 pontos, a 2.519,07. O último índice atingiu seu mais alto nível desde 5 de junho de 2008.

O índice ampliado Standard & Poor's 500 avançou 0,23% (2,73 pontos), a 1.208,67.

"O mercado mudou com o discurso do presidente" Barack Obama sobre a reforma financeira, pronunciado à tarde, disse Craig Peckham, da Jefferies.

"O mercado era vulnerável a um retrocesso", explicou Peter Cardillo, da Avalon Partners, após o Dow Jones subir em 9 das 10 últimas sessões.

Pela manhã, os investidores registraram uma nova redução da dívida da Grécia por parte da Moody's, que considera, inclusive, manter a tendência, mas à tarde o mercado começou a limitar suas perdas.

"A retórica e o tom do discurso do presidente (Obama) estiveram de acordo com o esperado pelos investidores, inclusive foi mais suave do que se temia", destacou o analista.

Obama defendeu em Nova York a reforma financeira, destacando que se não for aprovada nos Estados Unidos poderá ocorrer uma nova crise, e pediu apoio a Wall Street.

O setor bancário passou logo em seguida ao azul.

O discurso de Obama "não foi um fator negativo para o mercado, e serviu de desculpa para dirigi-lo a elementos básicos", disse Craig Peckham.

No mercado obrigatório, o rendimento dos bônus do Tesouro a 10 anos subiu a 3,772%, contra 3,738% na noite de quarta-feira. Os títulos a 30 anos fecharam a 4,636%, contra 4,609%.