Mercado futuro aponta avanço nas projeções de longo prazo

SÃO PAULO, 22 de abril de 2010 - Após o feriado prolongado de Tiradentes, o mercado de juro futuro aponta discreta queda no curto prazo e avanço nos vencimentos mais longos com os investidores acompanhando o desempenho dos índices norte-americanos. Na BM&FBovespa o contrato de Depósito Interfinanceiro (DI) com vencimento em janeiro de 2011 apontava taxa anual de 9,39%, ante 9,40% do ajuste anterior. Janeiro de 2012 projetava juro de 12,13%, contra 12,11% do último fechamento.

A agenda interna desta quinta-feira é fraca de indicadores econômicos, destaque para o resultado do Índice de Confiança do Empresário Industrial (ICEI), referente a março, que será divulgado pela Confederação Nacional da Indústria (CNI). O mercado monitora também o leilão de títulos públicos que contribui para pressionar a curva de juros futuros.

Os agentes monitoraram nesta manhã notícias revelando que o presidente do Banco Central, Henrique Meirelles, disse que desde 2006 os juros básicos da economia brasileira vêm caindo seguidamente e isso é uma tendência no País. Nos últimos quatro anos, a taxa Selic passou de 26,32% para os atuais 8,75% ao ano. Meirelles participou do 9º Fórum Empresarial, em Comandatuba (Bahia), com cerca de 320 empresários e executivos.

As atenções dos investidores hoje estão focadas nos Estados Unidos. Nesta manhã o Departamento do Trabalho dos Estados Unidos divulgou que o Índice de Preços ao Produtor (PPI, na sigla em inglês), apresentou inflação de 0,7% em março de 2010 na comparação com o mês anterior. Além da divulgação de indicadores econômicos, os agentes aguardam um discurso do presidente dos Estados Unidos, Barack Obama.

(Maria de Lourdes Chagas - Agência IN)