Grécia derruba bolsas em dia de indicadores positivos

SÃO PAULO, 22 de abril de 2010 - O aumento do déficit público na Grécia fez os principais índices acionários europeus fecharem a quinta-feira em baixa, apesar de indicadores econômicos positivos no continente.

Ao final dos negócios, o índice FTSE-100, de Londres, caiu 1,02%, aos 5.665 pontos, o DAX, de Frankfurt, teve desvalorização de 0,99%, aos 6.168 pontos e o CAC-40, de Paris, perdeu 1,33%, aos 3.924 pontos.

Hoje, a agência europeia Eurostat revisou para cima o déficit público da Grécia em 2009, a 13,6% do Produto Interno Bruto (PIB), contra 12,9% anunciados por Atenas, e advertiu que o número, que não é definitivo, pode ser ainda maior. Ao mesmo tempo, a Eurostat informou que o déficit nos 16 países que integram a zona do euro disparou no ano passado e atingiu o nível sem precedentes de 6,3% do PIB, contra 2,0% em 2008.

Por outro lado, o índice gerente de compras (PMI, sigla em inglês) da atividade industrial na zona do euro marcou 57,5 pontos em abril deste ano, ante leitura de 56,6 pontos em março.

Além disso, o índice gerente de compras (PMI, na sigla em inglês) da atividade do setor de serviços dos 16 países que compõem a zona do euro subiu para 55,5 pontos em abril ante 54,1 pontos em março.

Na opinião de Álvaro Bandeira, diretor da Ágora Corretora, a situação da Grécia influenciou negativamente nas movimentações do mercado. "O problema grego acaba arrastando outros países como Portugal, Itália e Irlanda para a crise. Neste quadro, o investidor acaba tendo mais aversão ao risco e as bolsas sofrem. A possibilidade de default existe e preocupa os mercados do mundo todo", explicou.

Por sua vez, o índice gerente de compras (PMI, sigla em inglês) da atividade industrial da Alemanha marcou 61,3 pontos em abril deste ano, ante leitura de 60,2 pontos em março. O índice atingiu pontuação recorde.

(Humberto Domiciano - Agência IN)