Em fórum ambiental, Torloni critica construção de Belo Monte

Laryssa Borges, Portal Terra

COMANDATUBA - A atriz Christiane Torloni, que participa a partir desta quarta-feira do Fórum de Comandatuba, na Bahia, criticou, ao chegar para integrar os debates promovidos pelo LIDE, Grupo de Líderes Empresariais, a decisão do governo do presidente Luiz Inácio Lula da Silva de dar seguimento à construção da usina hidrelétrica de Belo Monte, no rio Xingu (PA).

O empreendimento, orçado em R$ 19 bilhões, é foco de disputas desde os anos de 1970 e desde o início da semana foi alvo de três liminares que buscavam barrar o leilão da usina. A Advocacia-geral da União (AGU) conseguiu reverter na Justiça todos os pedidos de paralisação do projeto.

"Fico preocupada com Belo Monte. Será que é uma obra de que o mundo precisa? Será que não está sendo feita porque se está no fim de um mandato", questionou, insinuando que a viabilização da hidrelétrica pode ter sido levada a cabo por conta do ano eleitoral.

Belo Monte será a terceira maior usina do mundo em capacidade instalada, com 11,2 mil MW, ficando atrás apenas de Três Gargantas, na China, com 22,5 mil MW, e da usina binacional de Itaipu, com 14 mil MW.

Sustentabilidade

Ativista em prol do "desmatamento zero" da floresta Amazônica, Christiane Torloni também defendeu que políticas de preservação ambiental seja discutidas por formadores de opinião e empresários, setores que, segundo ela, realmente podem ajudar a reverter a atual devastação da fauna e da flora brasileiras.

"(No Fórum de Comandatuba o problema ambiental) é discutido não pela base da pirâmide, mas pelos donos das empresas, pessoas que podem mudar. Precisamos de uma consciência integrada", disse.