Taxa de saneamento básico no DF retrai a partir de 1998

SÃO PAULO, 20 de abril de 2010 - Desde o ano de 1988, apenas 28 anos após sua fundação, a área urbana do Distrito Federal apresenta altos índices de saneamento básico, com a maioria maciça dos domicílios com acesso a água canalizada, rede geral de esgoto e coleta de lixo. No entanto, a partir de 1998, as taxas verificadas iniciaram uma série de retrações, de acordo com o Instituto de Pesquisa Econômica Aplicada (Ipea), em seu relatório "Brasília: impactos econômicos da capital no Centro-Oeste e no País".

No entanto, nas áreas rurais, os avanços são bem mais limitados. Há uma queda no acesso ao saneamento básico nas localidades mais afastadas (principalmente nas cidades-satélites) entre 1998 e 2008, o que indica que o investimento público não acompanhou a velocidade de expansão dessas regiões (nota-se também recuo no acesso à rede de esgoto na área urbana).

Segundo o Ipea, "Em 1988, 87,3% das residências urbanas de Brasília tinham acesso a rede de esgoto. Proporção que alcançou 92,7% em 1998 mas retraiu para 89,1% em 2008".

(SV - Agência IN)