Sul e Sudeste lideram ranking de softwares piratas

SÃO PAULO, 20 de abril de 2010 - A Associação Brasileira das Empresas de Software (ABES), a Business Software Alliance (BSA) e a Entertainment Software Association (ESA) anunciaram o saldo dos esforços de combate à pirataria realizados em março. Segundo as entidades, as regiões Sul e Sudeste foram responsáveis por 94% do volume de mercadorias capturadas.

O período foi marcado pelo trabalho coordenado entre as esferas da polícia do país, o que resultou num total de 116 mil CDs falsificados apreendidos e num saldo de 66 operações, montante 29% acima do alcançado em fevereiro.

"Foz do Iguaçu, São Paulo e Rio de Janeiro, três áreas extremamente impactadas pela pirataria em função de suas localizações e por serem importantes pólos comerciais, foram as praças com maior saldo de apreensão", comenta Antônio Eduardo Mendes da Silva, coordenador do Grupo de Trabalho Antipirataria da ABES. "Isso reforça todo o esforço feito para reverter a situação nessas localizações", complementa.

De acordo com as associações, outro destaque alcançado no período foi o combate à pirataria corporativa. Em março foram recebidas 468 denúncias, por e-mail e telefone, sobre empresas que estavam supostamente com suas bases instaladas irregulares. "Tivemos um salto de 45% em termos de denúncias e de 122% de ações iniciadas contra essas companhias", detalha Mendes da Silva. As entidades enviaram ainda 239 notificações contra as empresas infratoras.

O monitoramento da venda de produtos piratas na internet também registrou avanços. Ao todo foram retirados do ar 1,4 mil anúncios de produtos ilegais, valor 15% maior que o período anterior, além de 25 websites utilizados para a mesma finalidade.

(Redação - Agência IN)