Média de domícilios chefiados por mulheres sobe em Brasilía

SÃO PAULO, 20 de abril de 2010 - A cidade de Brasília se distingue do restante do País por ter apresentado taxas mais rápidas na proporção de domicílios chefiados por mulheres, de acordo com informações divulgadas nesta terça-feira pelo Instituto de Pesquisa Econômica Aplicada (Ipea), em seu relatório "Brasília: impactos econômicos da capital no Centro-Oeste e no País".

O Distrito Federal (DF) em 1978, possuía porcentagem menor de mulheres chefe de família (13,04% dos domicílios contra 14,12% no Brasil). Entretanto, em 2008, a proporção de domicílios chefiados por mulheres era muito maior no DF (43,66% contra 33,43%).

Também de acordo com o documento, há um contingente bem menor de domicílios com idosos no Distrito Federal do que no resto do Brasil, "embora a proporção de idosos nos domicílios tenha crescido muito mais rapidamente em Brasília, saltando de 10,49% em 1978 para 20,25% em 2008", aponta o Ipea.

Nota-se, ainda, recuo na importância de domicílios de casal com filhos no cuidado dos idosos (queda de 58,4% em 1978 para 39% em 2008), e aumento na participação de outros tipos de arranjos familiares, principalmente mulheres com ou sem filhos, que subiram de cerca de 19% em 1978 para 34% em 2008.

(SV - Agência IN)