Grécia diz que poderá recorrer ao FMI

SÃO PAULO, 19 de abril de 2010 - O primeiro-ministro grego, Giorgos Papandreou, disse nesta segunda-feira que se "o interesse do país impor", recorrerá "sem dúvida" ao mecanismo de ajuda financeira oferecido pela União Europeia e pelo Fundo Monetário Internacional (FMI), segundo um comunicado do serviço de imprensa.

"Se o interesse do país impor a utilização do mecanismo de apoio, o faremos sem dúvida e informaremos os cidadãos de todas as nossas decisões. Não desertamos, tomamos nossas responsabilidades", afirmou o primeiro-ministro, citado no comunicado.

"Se para fazer as grandes mudanças e permitir que o país avance de forma segura, tivermos de recorrer ao mecanismo, o faremos", afirmou Papandreou, segundo o texto.

Os ministros da zona do euro fecharam no último dia 11 de abril o plano de ajuda à Grécia, com o objetivo de permitir ao país financiar sua dívida a um valor mais baixo que o que está sendo pedido pelos mercados.

Segundo esse plano, no primeiro ano a UE daria uma ajuda de ? 30 bilhões (US$ 41 bilhões) em forma de empréstimos bilaterais, a uma taxa de 5%. Outros ? 10 bilhões e ? 15 bilhões seriam aportados pelo FMI.

(Redação com agências internacionais - Agência IN)